Lana Parrilla, cinema nacional e clima de nostalgia com o eterno Senhor Barriga. Confira como foi o segundo dia da CCXP Worlds

06/12/2020

Créd capa - CCXP / Victor Vivacqua

Mais uma tarde repleta de conteúdos inéditos para os fãs da cultura pop no Brasil e no mundo. E como a CCXP Worlds: A Journey of Hope tem painel para todos os gostos, o público pôde acompanhar papos sobre animes, cinema nacional, adaptações dos quadrinhos para as telas, a presença feminina nas HQs e muitas outras atrações. No segundo dia do festival, os brasileiros mataram mais uma vez a saudade de uma das séries de maior sucesso no país com a participação de Edgar Vivar, mais conhecido como Senhor Barriga. Outra atração para fã de ficção-científica nenhum colocar defeito foi Katee Sackhoff, de Battlestar Galactica, e os aficionados por ‘Once Upon a Time’ tiveram mais uma vez a oportunidade de assistir Lana Parrilla, que desta vez surgiu acompanhada por seu colega de elenco, Sean Maguire. Já no Artists’ Valley, as mulheres mais uma vez mostraram que chegaram para ficar no universo dos quadrinhos. Joelle Jones falou sobre sua Yara Flor (a Mulher Maravilha brasileira) e Nicola Scott contou como enfrentou o sexismo na indústria. Já no Creators & Cosplay Universe, a diversão rolou solta com muitas brincadeiras e conversas comandas por Foquinha e Matheus Pasquearelli.

Na tarde deste sábado, a CCXP Worlds deu continuidade aos painéis esperados pelos fãs, repletos de participações ilustres como Penélope Cruz e os irmãos Russo. No Artists’ Valley, acontecerá ainda a exibição do painel ‘Histórias Pretas’ - que traz uma entrevista com o premiado autor Marcelo D’Salete, comandada por Andreza Delgado. Para quem não quiser dar a noite por encerrada, a programação da Oi Game Arena segue até as 3h da madrugada.

Como nem só dos palcos principais vive a CCXP Worlds, as atividades na Hollywood Strip aos poucos vão sendo reveladas. Após os painéis da AMC, Paramount, Funimation e Globoplay, novas interações começaram a aparecer para oferecer ao público ainda mais atrações na plataforma. Agora já é possível ver as homenagens a Top Gun, que foi tema no Thunder Arena de ontem, e até imagens especiais do anime ‘Attack on Titan’, lançada pela plataforma de streaming de animes da Funimation. Para o fã que quer viver ainda mais a CCXP Worlds, no Geek Hall é possível encontrar as marcas que fazem parte dos catálogos de produtos do festival - e que podem ser comprados na Oi Place, o e-commerce oficial do festival, ajudando a deixar sua casa e suas roupas o mais nerd possível. Com uma infinidade de produtos de marcas como Panini, Piticas, DC, Warner, Harry Potter, Ruffles, Riachuelo Geek, entre muitas outras, cada pessoa pode viver esta experiência única com os produtos exclusivos preparados para o festival. Também é possível acompanhar entrevistas e fazer compras nos espaços da Chiaroscuro Studios e da Iron Studios, que mostrou hoje um pouco mais sobre a produção dos colecionáveis .

Tarde no Thunder Arena vai de Chaves a Anime, passando por lançamentos do cinema nacional

A abertura do segundo dia na Thunder Arena foi especialmente preparada para os fãs de desenhos japoneses e, para isso contou com a presença dos novos dubladores de ‘Attack on Titan’, da Funimation, serviço de streaming por assinatura especializado em animes. Lucas Almeida, Pedro Volpato, Bruno Sangregorio, Mayara Stefane, conversaram com Moo - nova apresentadora do Omelete e mediadora do painel, sobre a experiência e desafios de dublar um anime. Em seguida, a Funimation, trouxe Didier Ghez e Josellie Rios, executivos da marca, para mostrar ao público as novidades que estão trazendo para o Brasil.

Na sequência, Edgar Vivar, o eterno Senhor Barriga, da série mexicana Chaves, falou para os espectadores da CCXP Worlds sobre momentos de seu personagem: "Meu episódio favorito é Chaves em Acapulco e todas as recepções que tive na vila", entregou. O painel também contou a presença de Carmen Ochoa, produtora da série que relembrou histórias dos tempos de gravação: "Éramos uma família. Apenas boas lembranças". A nostalgia tomou conta dos fãs, que interagiram bastante por meio da #ThunderArena, além de surgirem na FanCam com bonecos dos personagens mais famosos da vila.

Logo depois, foi a vez de uma das maiores musas da ficção-científica surgir no palco, a convidada especial Katee Sackhoff, também conhecida como a Starbuck, de Battlestar Galactica. A artista conversou com Bruno Silva sobre sua carreira e a marcante personagem. "Nos anos 1970 minha personagem era feita por um homem e, hoje, a minha presença no lugar dele é muito importante para as mulheres. Podemos estar em qualquer ambiente", ressaltou a atriz. Em seguida, foi a vez de Fábio Porchat levar seu programa, ‘Que História É Essa, Porchat?’, para a CCXP Worlds. A edição especial recebeu os comediantes Edmilson Filho que contou suas aventuras nos Estados Unidos, e Rafael Infante, que falou sobre momentos engraçados de sua infância, claro, com muito humor. Logo depois, Forlani chamou os atores Alice Braga, Gabriel Leone e o diretor René Sampaio para conversarem sobre ‘Eduardo e Mônica’, produção da Globo Filmes inspirada na música de Renato Russo. "Eu era nova quando ouvi pela primeira vez. O processo de construção do filme me fez descobrir ainda mais sobre Legião Urbana e isso foi lindo", disse Alice. A obra teve sua estreia adiada por conta da pandemia.

Como já é de costume, a CCXP recebeu a Mauricio de Sousa Produções. O grande criador dos personagens do bairro do Limoeiro apresentou ao público, em primeira mão, o crossover entre Turma da Mônica e Garfield. Além disso, no fim do painel, foi exibido um vídeo exclusivo do novo filme da Turma da Mônica, desta vez com o nome ‘Lições’. "Estou muito feliz com as evoluções e adaptações que estamos fazendo, vamos continuar sempre contribuindo para a alegria das pessoas", expressou Mauricio.

Para fechar a tarde na Thunder Arena, Joel Crawford, diretor de cinema, e Rodrigo Lombardi foram convidados para conversar com Forlani sobre ‘Os Croods 2: Uma Nova Era’, nova animação da Dreamworks com a Universal Pictures. "Eu gosto muito dessa parte da dublagem, fui pegando uma participação aqui, outra ali e hoje tenho o prazer de ter a minha voz num filme tão legal como ‘Os Croods’", disse Rodrigo, dublador de Phil Betterman, um dos novos personagens da saga. No fim, além do trailer oficial, foi apresentada uma cena inédita do longa de animação.

Já Lana Parrilla e Sean Maguire, atores de ‘Once Upon a Time’ (Era uma vez, em português) foram recebidos com um depoimento emocionado de uma fã. "Eu sempre acompanhei Era Uma Vez e me apaixonei pela Lana. Ano passado, na CCXP, pude realizar meu sonho de encontrá-la e dizer para ela o quanto eu a amo". No bate-papo com Pati Gomes, os artistas falaram sobre o roteiro da série e bastidores das gravações. "Eu tenho muitas lembranças incríveis e isso é o que importa. Vivemos muitas coisas e as memórias são as melhores possíveis", disse Lana. Durante todo o painel os fãs não economizaram elogios para os atores por meio do chat e da #ThunderArena.

Mulheres tomam conta do Artists’ Valley e criador de The Boys fala sobre adaptação para TV

Um ano após Gal Gadot levantar o auditório Thunder na CCXP, Mulher Maravilha voltou a ser o assunto do dia, pelo menos no Artists’ Valley. Com várias action figures da personagem ao fundo, a australiana e desenhista Nicola Scott começou o dia falando sobre como enfrentou o sexismo na indústria de quadrinhos quando ilustrou a principal personagem feminina da DC Comics. Ela ressaltou a importância das redes sociais para compartilhamento dos trabalhos de mulheres e tantas outras comunidades. "Não duvide de si, vá experimentando, vá testando. Geralmente você é seu pior inimigo. É desafiador, mas, acredite, alguém irá gostar do seu trabalho. A sacada está em concluir as coisas e para isso não se pode ser preguiçoso". Scott destaca que o cenário mudou muito nos últimos 10 anos e que seu papel no mercado internacional é incentivar que mais mulheres cheguem aos cargos de editoras e produtoras, elevando assim outras vozes femininas. "É importante achar vozes e mulheres criadoras qualquer que seja a comunidade dela e elevar seu trabalho", acredita.

A tarde deste sábado no Artists’ Valley também contou com um dos painéis da DC para apresentar os responsáveis por três versões de Mulher Maravilha - que completa 80 anos em 2021 -, entre elas uma indígena brasileira: a personagem Yara Flor, que será ilustrada pela norte-americana Joëlle Jones. No painel, Jones disse não poder revelar muito para não estragar a surpresa, mas adiantou que a história de Yara se passa em uma tribo diferente do Brasil e no futuro. Jones contou que realizou uma pesquisa sobre a cultura do Brasil e como isso ajudou a desenvolver a personalidade que ela imprimiu na personagem. "Ela não cresceu em uma tribo amazônica. Ela é uma excluída, então ela chega como uma mortal, pelo menos mais do que as outras Mulheres Maravilhas", contou. Por fim, Joëlle revelou que, para chegar no resultado já divulgado pela DC, foi preciso seis diferentes designs para a roupa de Yara. No chat do painel do Artists’ Valley, o internauta Victor Meira apostou: "Yara vai ser Braba".

Para a quadrinista paraense Ty Silva, que está expondo seu trabalho no AV, a novidade é maravilhosa. "Acho importantíssimo que a gente tenha mais representantes femininas fortes e ela ser uma amazona da Amazônia foi a sacada mais lógica e correta possível. Destaco ainda que a maior personagem da DC vai trazer mais representatividade para a região norte do Brasil, além da representatividade indígena". Silva acredita em um bom resultado, uma vez que Jones tem feito uma Mulher-Gato maravilhosa e saber lidar com personagens femininas

Outro artista de peso que passou pelo espaço foi o autor de ‘The Boys’ e vencedor de Eisner Award, Garth Ennis, para falar sobre a adaptação de sua obra para a série da Amazon Prime. O escritor disse que sabe que muitas pessoas se surpreendem quando descobrem que o roteiro da série vem de uma HQ. Segundo Ennis, sua história vai muito além do que o show exibe e que as produções funcionam de forma independente. Para ele, seria loucura não esperar mudanças na adaptação, pois o timing da série na TV foi perfeito uma vez que todas as pessoas já conheciam o universo dos super-heróis. "A Marvel e DC fizeram um ótimo trabalho ao longo de 10 a 15 anos, colocando produtos de seus personagens em cada esquina. E falar sobre as consequências e esse jogo midiático ficou mais fácil", contou.

Creators & Cosplay Universe

Logo no início do dia, o espaço mostrou que tem conteúdo e interatividades para fãs de todas as idades. A CCXP Kids recebeu toda a desenvoltura de Fafá Conta Histórias, que animou a plateia virtual com elementos visuais e muito improviso. Já no painel das meninas do canal ‘Eu Nunca Vi 1 Cientista’, os apresentadores do dia, Foquinha e Matheus Pasquearelli, participaram de uma brincadeira no estilo Show do Milhão, que contou com a participação do público de casa por meio da funcionalidade da FanCam. Como resultado, Foquinha saiu coroada como rainha da ciência da cultura pop por ter feito mais pontos no quiz.

Um dos painéis mais esperados desta tarde foi a conversa com Azaghal e Jovem Nerd, criadores de conteúdo com foco em cultura pop desde os primórdios da internet. A conversa mostrou ao público mais jovem todas as dificuldades do início e a evolução das entregas para os fãs deste universo. O sucesso alcançado em uma plataforma de financiamento coletivo para o projeto NerdCast RPG foi outro tópico muito discutido, pois bateu recorde de arrecadação em 24h. Para celebrar, os influenciadores deram um spoiler para o público da CCXP e anunciaram que o episódio final da série de podcasts vai ao ar no dia 25 de dezembro. Para encerrar o painel, Foquinha fez um pingue-pongue com os entrevistados arrancando polêmicas e risadas. Ao ser perguntado sobre uma decepção, Azaghal respondeu ‘Star wars’, enquanto o pessoal do Jovem Nerd elencou o ano 2019 como uma saudade.