Pesquisadora da USP transforma mestrado sobre J.R.R. Tolkien em livro

03/07/2019

Frodo não fazia muita ideia do que lhe esperava na ausência de Bilbo Bolseiro, que partiu para Valfenda, a última Casa Amiga, depois da festa de seu onzentésimo primeiro aniversário. A única coisa que restava era contar com seus amigos e confiar neles – a começar pelo velho mago Gandalf. E foi assim que o herdeiro de Bilbo foi dizendo sim a cada convite de seguir em frente em sua pesarosa missão de destruir o Anel do Senhor do Escuro. Em contrapartida, ele recebeu muitos sins de mais amigos que ele poderia imaginar ter em sua jornada. “Pode confiar em nós para ficarmos juntos com você nos bons e maus momentos, até o mais amargo fim”, é o que lhe disse seu amigo Merry ao revelar que ele e Pippin já sabiam de tudo o que Frodo estava passando.

Para o filósofo grego Aristóteles, a amizade perfeita é a benevolência recíproca e se dá somente entre indivíduos de caráter nobre. O livro Em Boa Companhia – a amizade em “O Senhor dos Anéis” mostra como essa forma de amor acessível a qualquer um de nós é essencial para vencermos as batalhas de nossas vidas, seja na guerra interior que travamos contra nós mesmo, seja na guerra política contra um poder maligno, como bem coloca J.R.R. Tolkien em sua grande obra.